Qual a diferença do diploma EAD? Entenda aqui

Por suas inúmeras vantagens, a educação a distância — EAD — tem ganhado cada vez mais espaço, sendo uma modalidade de ensino em expansão no Brasil. Trata-se de um formato acadêmico que ainda é relativamente novo. Essa condição costuma gerar algumas dúvidas e, entre elas, estão aquelas sobre a validade de um diploma EAD.

Para ajudá-lo a entender mais sobre o funcionamento do ensino a distância, vamos solucionar as principais dúvidas relacionadas ao assunto. Com isso, além de conhecer com maiores detalhes as características dessa modalidade de ensino, você vai ter mais segurança para escolher o seu curso e em qual instituição estudar.

Portanto, não perca tempo e confira agora mesmo!

Que informações constam em um diploma EAD?

O diploma é um documento que comprova a conclusão de um curso — seja de graduação ou pós-graduação.

Sua emissão é feita por uma Instituição de Ensino Superior (IES) e assegura que o diplomado cumpriu todas as exigências para se formar, tendo obtido notas satisfatórias em disciplinas, além de ter realizado estágio e trabalho de conclusão de curso, quando houver.

As informações em um diploma EAD variam de acordo com os cursos. Geralmente, no ensino superior, há indicações sobre a área do curso (matemática, medicina, arquitetura etc.), a habilitação (licenciatura, bacharelado ou superior de tecnologia), a instituição de ensino e demais dados sobre o funcionamento da graduação.

Também são contemplados o nome do titular do diploma, a data de obtenção e, eventualmente, dados do dirigente da instituição e dos pais do diplomado.

Nas informações específicas sobre o funcionamento do curso, estão incluídas as portarias de autorização e de reconhecimento — dados essenciais para a validade de qualquer diploma.

O registro quanto à autorização e o reconhecimento, no entanto, não é feito para os cursos de especialização, tanto presenciais, quanto a distância. Nesse nível educacional, os diplomas, em geral, informam sobre a área de concentração do curso, a sua carga horária, a instituição de ensino, a data de titulação e o nome do diplomado.

A modalidade EAD é especificada no diploma?

Não há essa especificação. Como mencionado no tópico anterior, existem várias informações em um diploma EAD, as quais são essenciais para a verificação de sua autenticidade. No entanto, nenhuma delas se refere à modalidade em que o curso foi feito.

Na verdade, não é necessário fazer esse tipo de discriminação entre os formatos de curso porque a própria legislação educacional brasileira entende a igualdade de qualidade formativa, o mesmo cumprimento de exigências acadêmicas e a idêntica validade entre as duas modalidades de ensino.

Quais são os benefícios de um curso a distância?

Apesar do crescimento da popularidade dos cursos EAD, muitas pessoas ainda se questionam sobre as vantagens oferecidas por essa modalidade de ensino. Ainda existe muito preconceito em relação à educação a distância, pois diversos estudantes acreditam que o tradicional curso presencial é mais eficaz.

A verdade, porém, é que a EAD é mais vantajosa em diversos casos, dependendo do perfil dos estudantes. Para explicar melhor os seus benefícios, vamos listar alguns pontos a seguir:

Flexibilidade

A flexibilidade é, sem sombra de dúvidas, a maior vantagem que um curso a distância tem a oferecer. Como nessa modalidade as aulas são disponibilizadas por meio de uma plataforma online, os estudantes têm a liberdade para escolher quando e onde estudar.

Dessa forma, é muito mais fácil montar a sua rotina de estudos, tendo em vista que você não fica preso aos horários fixos de uma instituição presencial. Por outro lado, a EAD exige muita disciplina e organização para ficar em dia com os conteúdos das aulas, caso contrário, você será reprovado.

É importante ressaltar aqui que muitas pessoas já inseridas no mercado de trabalho deixam de investir no aprendizado justamente por não terem tempo para frequentar um curso presencial. Nesses casos, o ensino a distância oferece a oportunidade de conciliar trabalho e estudos sem grandes dificuldades, abrindo as portas para que muita gente tenha acesso à educação.

Autonomia

Como consequência direta da flexibilidade dos cursos a distância, os alunos precisam desenvolver autonomia suficiente para criar um cronograma de estudos e se manter em dia com o aprendizado.

Na EAD, não existem professores que ficarão no seu pé, exigindo produtividade e resultados. Você não tem horários fixos para frequentar as aulas, nem é obrigado a se apresentar pessoalmente aos professores, contabilizando frequência.

Muitas pessoas podem pensar que essa liberdade gera um desleixo por parte dos estudantes. Porém, a realidade é exatamente o contrário.

Apesar de não haver uma lista de presença na educação a distância, os alunos precisam se manter em dia com os trabalhos e atividades acadêmicas para serem aprovados e obterem o diploma. Aqueles que não se organizarem, acabarão prejudicados.

Com isso, os alunos de EAD acabam desenvolvendo naturalmente o hábito de estudar, trabalhando a autonomia de uma forma única. Afinal, os estudantes se tornam os maiores responsáveis por sua educação. Trata-se de uma metodologia ativa, diferente daquela aplicada nos cursos presenciais.

Baixos custos

Ao contrário dos cursos presenciais — que exigem salas de aula, auditórios, secretarias e a presença de diversos funcionários para funcionar —, o ensino a distância apresenta uma enorme economia em relação à infraestrutura da instituição.

É claro que elas também contam com polos presenciais de qualidade, mas, ainda assim, os custos são bem menores. E o melhor de tudo isso é que essa economia é refletida na mensalidade dos estudantes, que tende a sair bem mais em conta do que a de cursos presenciais.

Em alguns casos, a EAD apresenta uma redução de custos de até 40% em relação às outras modalidades de ensino. Dentro desse cálculo, ainda é possível considerar a economia com transporte, tendo em vista que os estudantes não precisarão se deslocar até a instituição para assistir às aulas, nem perderão tempo enfrentando o trânsito intenso das grandes cidades, por exemplo.

Vivência digital

Atualmente, a maioria dos cursos EAD apresenta uma interface avançada, incentivando seus alunos a interagirem com a tecnologia desde cedo. Deve-se destacar ainda a acessibilidade de tais cursos para pessoas com deficiência visual ou auditiva.

Com isso, estudantes EAD tendem a terminar o curso com muito mais vivência digital do que outras pessoas. Hoje em dia, essa vivência é essencial no mercado de trabalho, tendo em vista que a tecnologia está presente em todos os setores. Boa parte da interação entre profissionais se dá por meio do ambiente digital.

Outra vantagem da tecnologia aplicada nos cursos EAD está na facilidade de comunicação entre colegas e professores. As plataformas digitais dessa modalidade contam com fóruns de discussão e chats que incentivam a interatividade entre todos. É possível, por exemplo, formar grupos de estudos, tirar dúvidas com os docentes, montar um networking de valor para o futuro, entre muitas outras vantagens.

Proatividade

Por fim, o ensino a distância trabalha em seus estudantes uma qualidade essencial no mercado de trabalho: a proatividade.

Vale relembrar que, nessa modalidade, você é inteiramente responsável por sua organização. As aulas não contam com horários fixos, e os professores não ficam cobrando resultados. Com isso, estudantes devem correr atrás do seu aprendizado por conta própria.

Sempre que você se deparar com uma dúvida, uma atividade ou uma oportunidade — de estágio, projetos, contatos etc. —, a responsabilidade de aproveitar ou resolver a situação é inteiramente sua.

Com isso, é evidente que estudantes EAD tendem a ser muito mais proativos e responsáveis do que os presenciais. Afinal, o ensino a distância exige muito mais maturidade para garantir o sucesso, ao contrário dos outros cursos, em que os alunos conseguem seus diplomas, mas não estão realmente preparados para encarar o mercado.

Como os gestores veem um diploma EAD?

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, cursos feitos na modalidade a distância são muito bem-vistos por gerentes de empresas e recrutadores de recursos humanos.

Primeiro, porque não é novidade para as equipes administrativas que, nesse modelo de ensino, são trabalhadas as mesmas habilidades e competências abordadas em cursos realizados de forma presencial.

Além disso, a flexibilidade do ensino a distância permite que o profissional concilie estudos e trabalho de maneira a não prejudicar nenhuma de suas atividades cotidianas. Assim, os gestores costumam enxergar essa modalidade como uma oportunidade de qualificação essencial ao funcionário — e uma atividade que não interfere em suas tarefas profissionais.

O diploma EAD é valorizado pelo mercado?

Em muitos casos, a valorização de um diploma EAD não só é a mesma que a de um diploma de curso presencial como também chega a ser maior. Cada vez mais, os recrutadores estão de olho nas características pessoais que compõem o perfil do profissional a ser admitido em uma organização, o que os leva a uma análise global do candidato.

Assim, é comum que o mercado enxergue profissionais egressos de cursos a distância como potencialmente mais organizados, disciplinados e proativos. Afinal, como já mencionamos, para que o aluno tenha sucesso nessa modalidade de ensino, é preciso desenvolver autonomia e gerir o próprio tempo, características muito valorizadas no mercado.

Como o profissional pode utilizar o diploma EAD?

Por ser igualmente válido aos cursos presenciais, o diploma EAD pode ser utilizado em todas as situações profissionais existentes no mercado. Sua função principal é atestar a formação acadêmica e profissional do diplomado, o que possibilita o ingresso em cargos que exigem qualificação específica.

Assim, ao portar um diploma EAD — de curso superior ou de pós-graduação — o profissional pode concorrer a determinados postos de trabalho na iniciativa privada e no setor público. O diploma é a sua porta de entrada para se inserir no mercado e ter melhores oportunidades na carreira.

O diploma EAD tem a mesma validade que o presencial?

Um diploma EAD e um diploma de curso presencial têm exatamente a mesma validade. Inclusive, como já foi esclarecido, nem mesmo há a menção da modalidade de ensino nesse documento. Ou seja, não é sequer possível identificar se o curso concluído foi desenvolvido a distância.

Dessa forma, o que vai atestar se um diploma é válido não é o formato do curso feito e sim a compatibilidade da instituição que o ofereceu com as exigências do Ministério da Educação (MEC). Para ter validade, o diploma de curso superior deve conter informações sobre a autorização de funcionamento e o reconhecimento do curso pelo MEC.

Já os cursos de pós-graduação no nível de especialização — inclusive o MBA (Master Business Administration) — oferecidos a distância não necessitam de autorização nem de reconhecimento. É necessário, contudo, que a instituição responsável esteja credenciada para oferecer cursos EAD.

Além disso, tanto cursos de graduação presenciais quanto os que são ofertados a distância são submetidos aos mesmos critérios rigorosos do MEC. Essa avaliação garante que todas as modalidades tenham a mesma qualidade, formando profissionais capacitados para exercerem a profissão escolhida.

Como avaliar uma instituição de ensino a distância?

Diante da enorme quantidade de instituições de ensino existentes hoje em dia, fica difícil escolher entre uma delas para obter o seu diploma EAD. Por isso, é muito importante pesquisar bastante antes de finalizar a sua escolha.

Primeiramente, como já mencionamos, você deve verificar se a instituição em questão é credenciada pelo MEC para oferecer a modalidade de ensino a distância. No caso de cursos superiores, é preciso também avaliar se eles são reconhecidos e autorizados pelo ministério.

Em segundo lugar, é preciso avaliar a infraestrutura da instituição. Para isso, é interessante fazer uma visita ao polo presencial — onde se encontram os laboratórios para atividades práticas, bibliotecas, secretarias etc. — e avaliar todos os recursos oferecidos por ela. Afinal, tudo isso serve de complemento ao aprendizado dos estudantes.

Outro ponto que precisa ser avaliado é a capacitação do corpo docente. Até mesmo porque os professores constituem a base do ensino. São eles os principais responsáveis por transmitir os conteúdos do curso aos seus alunos. Se eles não forem devidamente capacitados, você pode acabar sendo prejudicado com um aprendizado fraco e ineficaz.

Por fim, é preciso pesquisar sobre a plataforma digital dos cursos. Elas devem contar com fóruns de discussão e ferramentas de interação entre alunos e professores, além de serem intuitivas e de fácil acesso. Uma plataforma que está constantemente fora do ar ou é muito bagunçada pode se tornar um grande empecilho aos seus estudos.

Com todos esses itens checados, você garante um aprendizado de qualidade e de fácil acesso, muito mais flexível do que o ensino presencial. Dessa forma, torna-se muito mais simples investir nos estudos e assegurar uma carreira de sucesso.

Como você pode perceber, foi criada uma espécie de mito em torno do diploma EAD. Na verdade, não existe nenhuma diferença entre ele e o diploma conferido para cursos presenciais, visto que o que muda é somente a forma como o ensino é desenvolvido — nesse caso, a EAD tende a ser muito mais vantajosa para muitos alunos.

Se você gostou deste post e quer saber mais sobre o ensino a distância, aproveite para conferir as nossas dicas sobre como vencer os maiores desafios da EAD!

Share This